Crítica – O Arqueiro – Volume I da trilogia A Busca do Graal

1:27:00 PM

Autor: Bernard Cornwell
Ano:
Editora: Record



            O Arqueiro (Harlequinn), escrito pelo autor inglês Bernard Cornwell, é o primeiro volume da trilogia do Graal, publicado pela editora Record no Brasil e conta a história de Thomas de Hookton, um simples camponês filho de padre e treinado, desde criança, no manuseio do arco e flecha e que se vê mergulhado em um mundo de intrigas e batalhas históricas em busca de um artefato que ele não acredita sequer existir, o Santo Graal.
            Bernard Cornwell é um dos mais importantes escritores britânicos da atualidade. Já publicou mais de 40 livros e teve obras traduzidas para mais de 16 idiomas. Cornwell prima por sagas de uma cativante sutileza narrativa e autenticidade histórica e essa característica está presente em todas as obras do escritor.
Em “O Arqueiro”, a saga de Thomas começa quando sua vila é invadida por um homem que se auto intitula “O Arlequim”, seguido por dezenas de guerreiros e que clamava estar em busca da mítica lança de São Jorge. Partindo em busca de vingança Thomas acaba mergulhando em meio às épicas batalhas da Guerra dos Cem Anos, travada entre a França e Inglaterra entre os anos de 1337 e 1453.
            Nesse cenário Thomas se torna um arqueiro experiente e participa de diversos momentos históricos, batalhas monumentais e intrigas políticas envolvendo a igreja e os autos postos do reinado.
            “O Arqueiro” é um livro dedicado a àqueles que gostam de grandes batalhas e das estratégias por trás das mesmas, pois descreve com detalhes cada passo, decisão e conseqüência dessas decisões. Descreve os principais líderes, o pensamento dominante na época, as superstições e as interações entre os habitantes da Europa naquele período conturbado e sangrento.
            Cornwell descreve com maestria e detalhes surpreendentes as batalhas que marcaram a historiada guerra dos cem anos, suas personagens e o clima dominante naquela época, assim como as estratégias de cada batalha, os fatores que levaram ao seu fim e os movimentos de cada exército dados pelo ponto de vista dos ingleses.
            A leitura de “O Arqueiro” é uma leitura prazerosa e cheia de referencias históricas interessantes e o livro é dotado de uma riqueza de detalhes impressionante. Estimula o leitor a sempre continuar a leitura e acrescentam diversas novas informações sobre os fatos históricos muitas vezes desconhecidos do grande público. Suas seqüências, O Andarilho, e “O Herege” concluem a história de modo satisfatório no mesmo estilo do primeiro volume.

Você também vai gostar de...

0 comments

Deixe aqui seu comentário e, se quiser, assine nosso Feed para receber as publicações do "The Reader" em seu e-mail.