Perfil - Joe Hill

6:06:00 PM

Joseph Hillstrom King, conhecido como Joe Hill, é filho do autor Stephen King. Nasceu em Hermon, Maine em 03 de Junho de 1972. Autor de ficção, ficou conhecido aqui no Barsil por seu primeiro romance publicado no pais, "A Estrada da Noite", lançado em 2007.
Em 2010 voltou a publicar outro sucesso de vendas, "O Pacto". Ambos publicados aqui no Brasil pela editora Sextante.


Quando Hill começou a escrever, ele estava bem ciente das comparações inevitáveis ​​que surgiriam entre seu próprio trabalho e o de seu pai, Stephen King, possivelmente o mais reconhecido romancista vivo. Stephen King mesmo usa um pseudônimo, Richard Bachman, depois que ele se tornou bem estabelecido, explicando mais tarde no curto ensaio: "Por que eu era Bachman" que ele sentia que tinha de saber se ele poderia "re-alcançar" sucesso como um autor, exclusivamente através da qualidade de sua escritaJoseph King (Joe Hill) escolheu seguir a mesma abordagem, embora muitos leitores estão agora conscientes da conexão, suas histórias têm sido muito elogiadas, e uma série de críticos têm enfatizado a sua própria objetividade e falta de preconceitos ao rever suas obras.
Joe Hill é o segundo filho de Stephen com Tabita King e, apesar de haver nascido em Hermon, foi criado em Bangor, Maine. Seu irmão mais novo Owen é também um escritor.

Aos 10 anos, Hill apareceu no filme dirigido por George A. Romero de 1982, Creepshow, escrito por seu pai. Hill escolheu usar uma forma abreviada de seu nome (uma referência ao lider trabalhista executado Joe Hill, de quem seu nome foi dado) em 1997, em um desejo de sucesso baseado unicamente em seus próprios méritos, e não como o filho de Stephen King Depois de atingir um grau de sucesso independente, Hill confirmou publicamente a sua identidade em 2007, após um artigo no ano anterior na Variety.
Em 2006 Joe Hill recebeu um prêmio de melhor escritor de ficção fantasiosa. O prêmio Willian L. Crawford. Recebeu também o prêmio A. E. Coppard Long Fiction Prize em 1999 pelo conto "Better Than Home" e outro em 2006, "World Fantasy Award for Best Novella" pelo conto "Vonluntary Committal". Suas histórias têm aparecido em uma variedade de revistas, como "Subterranean Magazine", "Postscripts" e  "The High Plains Literaly Reviews", e em muitas antologias, incluindo "Mammoth book of Best New Horror" (ed. Stephen Jones) e "The Year's best Fantasy and Horror"

Seu primeiro livro, "20th Century Ghosts", publicado em 2005 pela PS Publishing, apresenta quatorze de seus contos e venceu o prêmio "Bran Stoker Award" por melhor coleção de ficção.

Ao contrário do pai, Hill não se preocupa muito em criar clima. Seu estilo é rápido e dinâmico.
É possível ao leitor atento detectar o DNA de Stephen King em Joe Hill. Associar a presença maligna a um objeto inanimado (o paletó no caso de "A estrada da noite)), por exemplo, também é um recurso conhecido pelo pai. Em Cristine era um carro quem recebia a maldição. Pai e filho estão mais interessados em desenhar um ambiente de terror do que em dar densidade aos personagens. Além disso, Hill também desenvolveu uma narrativa bem visual, tanto na descrição dos cenários quanto na criação do clima de suspense, talvez de tanto ver os livros do pai no cinema.



Você também vai gostar de...

0 comments

Deixe aqui seu comentário e, se quiser, assine nosso Feed para receber as publicações do "The Reader" em seu e-mail.